Poupança ou tesouro direto: Onde é melhor investir?

Tempo de leitura: 5 minutos

Uma questão muito discutida hoje, com o avanço da cultura financeira no Brasil, é a diferença entre Tesouro Direto e Poupança. O que é? Como funciona? Por onde começar? Onde é melhor investir?

O Tesouro Direto é um programa do Governo, implementado em 7 de janeiro de 2002, pelo Tesouro Nacional do Brasil, em parceria, na época, com a Bm&fBovespa. O objetivo deste programa é tornar popular o acesso a investimentos em títulos públicos, possibilitando sua compra por pessoas físicas pela internet.

Uma dúvida muito comum entre os iniciantes em Mercado financeiro é se devem investir na poupança ou Tesouro Direto em 2018. O fato é que investir seu dinheiro na poupança é como guardar seu dinheiro em um cofrinho. Logo, a ideia é procurar aplicações mais rentáveis e com o mesmo risco da poupança.

As únicas semelhanças entre Tesouro Direto e poupança é que ambas são aplicações em renda fixa e são ofertadas como uma forma segura de fazer seu dinheiro crescer. Mas, as semelhanças acabam aí.

Por isso, o Tesouro Direto é uma ótima opção! Além de render mais, ele é um grande aliado na formação de patrimônio. Porém, infelizmente, o brasileiro ainda adora a poupança e aplica constantemente seu capital nela devido à questão cultural! Em resumo, pela falta de conhecimento que gera a insegurança.

 

Poupança, Tesouro Direto e suas rentabilidades

Na poupança, existem algumas regras estabelecidas pelo governo.

Se a taxa Selic for maior ou igual a 8,5% ao ano, o rendimento dela será de 0,5% ao mês + Taxa Referencial. Caso a Selic atual, esteja abaixo de 8,5% ao ano, a rentabilidade será de 70% da Selic + TR. Considerando a taxa Selic atual, que é de 6,50% ao ano, o rendimento da poupança está em 4,5% ao ano! Ou seja, sendo totalmente descartada.

Agora, desconsiderando a inflação acumulada, ou seja, seu ganho real de 2,76%, o retorno efetivo é de apenas 1,79% no ano todo.

Já no Tesouro Direto é muito próxima ao CDI, que é o benchmark da renda fixa, variando de acordo com o título escolhido. Podem ter 3 tipos:

 

  • Atrelados à inflação: pagam uma taxa fixa mais o IPCA do período. Por exemplo, 4,0%+IPCA. Eles são nomeados como Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais.

 

  • Prefixados: Possuem uma taxa anual fixa, como 10% ao ano. São vistos como bastante vantajosos de acordo com os juros da economia. São ofertados como Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais.

 

  • Indexados à taxa Selic: Possui rendimentos atrelados à taxa básica de juros. Considerado assim, um dos melhores títulos para acompanhar o ritmo de retornos do mercado. Com ele, você ganha 100% da Selic do período.

Logo, comparando os dois, lembrando que o CDI acumulado está entre 8,10%, a caderneta de poupança apresenta os piores rendimentos.

 

Segurança

Como já dissemos neste artigo e em vários outros no Blog da Clínica do Enriquecer, muitas pessoas pensam que a poupança é o investimento mais seguro que existe. No entanto, isso é um mito. O título público é o mais seguro.

Exemplo disso foi durante o governo Collor, no qual todos os depósitos das cadernetas foram bloqueados e muitas pessoas perderam o valor investido.

No Tesouro Direto, isso não ocorre, pois ele é emitido pelo governo. Um título público é um investimento soberano. Não há a possibilidade de acontecer o que ocorreu na poupança, naquela época, pois, para haver um calote desse tipo, as instituições financeiras teriam que falir antes dele.

 

Liquidez do Tesouro Direto

Sua liquidez é D+1, ou seja, ao solicitar o resgate do valor investido, no próximo dia útil ela estará em sua conta. Para longo prazo, é um investimento ideal, para a aposentadoria por exemplo.

A diferença com a poupança é que lá também você pode resgatar a qualquer momento. Mas é aí que está o problema: para você ter o rendimento, é somente na data de aniversário da poupança. Já no Tesouro você vê o seu dinheiro rendendo diariamente.

 

Aplicação mínima

O investidor tem acesso a títulos a partir de R$ 30. Neste ponto, a poupança leva vantagem, pois lá você pode iniciar com R$ 1. Contudo, levando em consideração que seu dinheiro rende mais no Tesouro Direto, é melhor acumular o aporte mínimo e investir nele.

 

Tributação 

A caderneta de poupança é livre de qualquer imposto, então o rendimento líquido é igual ao rendimento bruto. Já os Títulos Públicos possuem tributos como Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e o Imposto de Renda (IR). O primeiro incide nos primeiros 30 dias da aplicação. O IR já é descontado na liquidação do investimento.

Você pode estar pensando que isso quer dizer que a poupança é melhor e mais vantajosa. Mas não, pois, quando comparado, o rendimento líquido do Tesouro ainda supera o da caderneta de Poupança, dando quase 30% a mais! Neste caso, é mais vantajoso pagar impostos e obter lucros atrativos.

 

Imposto de renda

O Tesouro conta com a cobrança de uma alíquota regressiva, a tabela de imposto de renda:

% de IR sobre o rendimento

Período de aplicação

22,5%

até 180 dias

20%

até 360 dias

17,5%

até 720 dias

15%

mais de 720 dias

 

 

Como começar? 

Para iniciar, entre em contato com a nossa equipe da Clínica do Enriquecer. Nossos consultores te auxiliarão na abertura de conta na corretora Terra Investimentos. Você abrirá sua conta no seu CPF e terá um login e senha. Em seguida, irá transferir o valor a ser investido para essa conta da corretora. Depois, poderá acessar e acompanhar seus investimentos diretamente da plataforma da corretora.

Seus investimentos serão feitos com o auxílio de um especialista. A partir daí é só poupar, aplicar e ver seu dinheiro render!

Caso tenha dúvida, contate nossa equipe e peça mais detalhes sobre a aplicação.

 

Entre em contato conosco:

contato@clinicadoenriquecer.com.br

ou

(15) 3500-2189

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *