O processo da reeducação financeira – Por Bruna Gomes

Tempo de leitura: 1 minuto

Para finalizar esta série de 4 depoimentos a respeito do início dos investimentos em minha vida, gostaria de focar no quanto isso vem me ajudando, tanto na parte da economia, quanto na questão do consumismo.

Sempre gostei muito de comprar. Ter coisas novas, livros novos, roupas novas, enfim… Quem não gosta, não é mesmo? Mas, há algum tempo, andei percebendo que ter muito não significava mais felicidade. Comecei a sentir que meu quarto estava com coisa demais, ou seja, muitos gastos e pouco dinheiro de reserva. Se eu parasse para analisar, não tinha um centavo que pudesse cobrir uma emergência. Isso me preocupava.

Durante todos esses meses de reeducação financeira, passei a pensar mais antes de fazer um gasto. Ponderar as reais necessidades. Me organizar mais. Antes era tudo no impulso. Hoje, aprendi a olhar meus gastos, as parcelas previamente feitas, a considerar os recebimentos do mês, mas, acima de tudo, a pensar se eu realmente tenho a necessidade do que pretendo comprar.

reeducação financeira

Doei diversas coisas e hoje meus armários e meu espaço em geral estão mais limpos, livres e mais organizados. Além disso, minha conta está sempre abastecida e sempre sobra um dinheirinho para investir no Tesouro Direto.

A reeducação financeira não beneficia somente o bolso, mas todo o seu pequeno universo.

Não poderia deixar de agradecer à Clínica do Enriquecer por todo o ensinamento, durante todos esses meses. E dizer que é só o começo. Muitos outros desafios, questionamentos, dúvidas, investimentos e economias virão pela frente!

Não se esqueçam: façam o dinheiro trabalhar para vocês! E o mais importante: é fundamental ter objetivos. Ter dinheiro apenas por tê-lo não significa nada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *